Páscoa: muito chocolate e pouco sentido

A Páscoa já era uma tradição entre os judeus, mas se  tornou o momento mais importante para os cristãos, representanda pela ressurreição de Cristo salvando a humanidade. Tanto para os judeus quanto para  os cristãos, esta data se relaciona com a esperança de uma vida nova. 

Simbolicamente o ovo representa vida e os coelhos, primeiros animais que surgem na primavera do hemisfério norte, anunciam a vida nova. 

Porém,  frente ao apelo comercial e o bombardeio da mídia, nos cabe ter uma visão crítica dessa data comemorativa que, nos dias de hoje, passa por cima do real significado e incentiva intensamente o consumo por meio da venda de chocolates. 

Além da troca de presentes, já pensamos no tempo que os resíduos como plástico decorado, papel alumínio, adesivo, fita e pequenos brinquedos irão continuar existindo no ambiente após serem descartados? 

Nossa dica para este feriado é a busca por alternativas sem foco no consumismo e com menos impacto ambiental. Priorize comprar de fabricantes artesanais, fazer doces em casa ou adotar outra forma de presentear e celebrar.

Feliz Passagem!

Feliz  Páscoa!

Valéria Lobão

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Este post tem um comentário

  1. Beatriz M Gimenes

    O elevado grau de consumo de chocolates em formato de ovos ou coelhos, incentivado pelos principais veículos de comunicação, é uma prática que em nada representa a Páscoa cristã, ou Pessach judaico.
    Ao contrário, é secular e comercial ! E para a maioria.. pouco importa a origem, e o significado destas celebrações !
    Já o trabalho educativo desenvolvido pelo Santos Lixo Zero porém, merece todo respeito e divulgação por despertar nas novas gerações o interesse pela diminuição do consumismo desenfreado e fútil.

Deixe uma resposta